Plantão de Notícias

Está pronto o Estudo de Impacto Ambiental que permitirá a construção da nova rodovia entre Praia de Leste e Pontal do Sul, em Pontal do Paraná, litoral do estado

A Prefeitura de Pontal do Paraná, através da Secretaria Municipal de Obras recebeu do governo do Paraná cópia completa do projeto de Estudo de Impacto Ambiental -EIA- bem como Relatório de Impacto Ambiental – RIMA_ referente ao empreendimento da Faixa de Infraestrutura, no município, ou seja, a tão sonhada e esperada construção da Rodovia que irá Ligar Praia de Leste a Pontal do Sul, no município de Pontal do Paraná, litoral do estado.
O valioso documento foi assinado por José Richa Filho, atual secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, conforme oficio encaminhado ao senhor Aramis Calixto, secretário municipal de obras de Pontal do Paraná.

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) investiu mais de R$ 8 milhões na contratação dos projetos executivos e do estudo ambiental da faixa de infraestrutura entre a PR 407 e Pontal do Sul. A faixa de infraestrutura vai orientar os futuros projetos executivos para a construção da nova ferrovia entre Maracaju/Paranaguá/ Pontal do Paraná e das implantações das redes elétrica e de gás, além de drenagem e saneamento.

“Esta obra vai modernizar a infraestrutura do Litoral, ajudar na urbanização dos balneários e promover o desenvolvimento, permitindo a atração de investimentos na região, criando empregos e renda aos moradores do Litoral”, disse o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho. O secretário explica que a nova faixa de infraestrutura vai ajudar também a proteger áreas de preservação da Mata Atlântica da região litorânea. A previsão é investir mais de R$ 200 milhões na construção da rodovia e na modernização do canal.

FAIXA DE INFRAESTRUTURA – A nova faixa de infraestrutura terá 23,2 quilômetros de comprimento, entre o entroncamento da PR 407 (Alexandra-Matinhos) e Ponta do Poço, em Pontal do Paraná. A faixa terá cerca de 220 metros de largura, ficando entre a área de proteção ambiental e o antigo canal da Suderhsa. Dentro da faixa serão construídas a nova rodovia, um ramal ferroviário, gasoduto, rede elétrica, o canal de drenagem e redes de saneamento.

“De forma moderna, o Estado usa a faixa de infraestrutura para impedir o avanço às áreas ambientais e também junta em um só ponto – distante das áreas de balneários – evitando a ocupação urbana da cidade ao longo da rodovia e da ferrovia”, disse Richa Filho. Com o Estudo Ambiental da faixa de infraestrutura, ficam também definidos critérios ambientais para a elaboração dos projetos executivos da ferrovia, rede de alta-tensão, gasoduto e rede de saneamento.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: