Plantão de Notícias

A imagem pode conter: 1 pessoa, oceano, praia, filho, atividades ao ar livre e águaVERÃO PARANÁ

Boletim de balneabilidade aponta novos pontos impróprios para banho

O quarto boletim de balneabilidade da temporada, divulgado nesta sexta-feira (13) pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP), aponta que aumentou o número de pontos considerados impróprios para banho no litoral do estado. Ao todo, foram registrados 4 locais onde o banho não é indicado, além dos outros 10 que são considerados permanentemente impróprios.

“O aumento da concentração de bactérias Escherichia coli nesses locais já estava sendo apontado nos monitoramentos das semanas anteriores, mas ainda não ultrapassava os padrões estabelecidos pelo Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente), com as chuvas mais frequentes e constantes esse limite foi atingido. São locais onde já se imagina ter maior possibilidade de contaminação também pelo movimento de pessoas”, explica Sumaia Andraus, bioquímica do Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, oceano, céu, praia, atividades ao ar livre, água e naturezaLITORAL – De todos os 59 pontos que são monitorados semanalmente pelo órgão, quatro deles estão com índices de contaminação da água por esgoto sanitário clandestino, acima dos padrões estabelecidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). Esses locais estão em Guaratuba, 100 metros à esquerda do Morro do Cristo; em Morretes, no Rio Nhundiaquara, e na Ponta da Pita, em Antonina.

Além desses locais, o boletim também traz informações de outros 10 locais considerados permanentemente impróprios para banho, independentemente de época do ano. Esses locais estão destacados em letras maiúsculas nos boletins e em anos anteriores eram divulgados no rodapé dos Boletins.A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, oceano, filho, atividades ao ar livre, natureza e água

Ao todo, os locais monitorados semanalmente na orla paranaense são 13 pontos em Guaratuba, 14 em Matinhos, 11 em Pontal do Paraná, seis na Ilha do Mel, três em Morretes e dois em Antonina. Foi também alterado o local de monitoramento de três pontos em Guaratuba – dois na Praia Central e um em Caieiras.

INTERIOR – O monitoramento feito na Costa Norte e Oeste do Estado mostra que todos os pontos monitorados, como na semana anterior, estão próprios para banho. A qualidade da água é avaliada em 17 pontos de praias artificiais e represas das costas Norte e Oeste do Estado.

A avaliação acontece nas cidades de Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, Itaipulândia, Missal, Santa Helena, Entre Rios do Oeste, Marechal Cândido Rondon e em Primeiro de Maio.

SINALIZAÇÃO – Como nos anos anteriores, o veranista pode se orientar com relação à balneabilidade seguindo a orientação das bandeiras na orla das praias, nos rios e nos reservatórios para indicar se os locais estão próprios ou impróprios para banho. A sinalização aponta a condição da água a 100 metros à direita e à esquerda de cada bandeira.

A cor vermelha indica que a água não é recomendada, enquanto que a azul demonstra que a região está própria para banho.A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, oceano, céu, montanha, atividades ao ar livre, natureza e água

DIVULGAÇÃO – Os boletins são divulgados semanalmente, sempre às sextas-feiras, com dados do monitoramento dos pontos do Litoral e do Interior do Estado. Os boletins ficarão disponíveis no site do IAP (www.iap.pr.gov.br) e do Verão Paraná www.verao.pr.gov.br

MONITORAMENTO – O monitoramento feito pelo IAP durante toda a temporada possibilita verificar a contaminação da água por esgoto sanitário clandestino, de acordo com os padrões estabelecidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). O estudo avalia a possibilidade de uso da água para atividades de lazer de contato primário, ou seja, não indicada para consumo.

As amostras de água são coletadas do mar e dos rios nos dias e locais que registram maior fluxo de banhistas, onde há maior possibilidade de contaminação. Além disso, são coletadas amostras de pontos onde há maior probabilidade de contaminação, como saídas de galeria de águas pluviais e foz de rios no mar.Nenhum texto alternativo automático disponível.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: