Arquivos de Categoria: FOLHA PONTAL

Plantão Policial

Homem é morto com pelo menos 10 tiros no Jardim Canadá, em Pontal do Paraná

Fato aconteceu por volta das 20h40, desta quinta-feira, dia 11, na rua Kingston , 177, Jardim Canadá, em Pontal do Paraná, litoral Paranaense. Foram pelo menos 10 disparos.
Vítima identificada como sendo Felipe Oliveira, 26 anos, natural de Foz do Iguaçu. Ele caiu morto no quintal de casa.

Plantão Policial

Ki-suco ferveu na Delegacia de Paranaguá

Uma tentativa de rebelião movimentou o setor policial na tarde desta segunda-feira, dia 8

Ruas aos arredores foram fechadas, tiros e muita gritaria foram ouvidos no local. Segundo as primeiras informações, a tentativa de rebelião na cadeia pública da Pires Pardinho foi motivada pela proibição de visitas aos detentos. A Policia Militar foi chamada e a Guarda Municipal controlou o trânsito na região do centro histórico da cidade.

Plantão Policial

Mistério
Professora de Inglês deu entrada sem vida no 24 Horas de Shangrí-lá. Fato aconteceu as 22h35 de ontem e mobilizou Policia Militar, Policia Civil e Guarda Municipal

Plantão de Notícias

A imagem pode conter: 9 pessoas, multidãoTRIMESTRE

Número de homicídios cai 14,3% no Paraná e 31,5% em Curitiba

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas, motocicleta e atividades ao ar livreA imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadasA imagem pode conter: atividades ao ar livreO número de homicídios dolosos (com intenção de matar) caiu 14,35% no Paraná nos três primeiros meses de 2017, em relação ao mesmo período de 2016. Neste ano, foram registrados 585 casos, contra 683 no primeiro trimestre do ano passado.

Em Curitiba a redução foi mais expressiva, de 31,5%, enquanto na Região Metropolitana da capital (RMC) a queda foi de 29%. Os dados foram divulgados pela Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária nesta quarta-feira (03).

O governador Beto Richa comentou os números dos primeiros três meses do ano e afirmou que o Paraná está colhendo resultados dos investimentos e das ações para ampliar a segurança da população.

“Investimos na contratação de policiais, equipamentos, viaturas e inteligência, dentro do Paraná Seguro, o primeiro grande programa articulado de segurança já realizado no Paraná”, disse Richa. “A maior presença de policiais nas ruas e as ações sistemáticas das polícias resultam nesta redução dos homicídios”, completou.

O relatório revela que a capital e municípios do entorno tiveram os menores índices de homicídios para o período desde que começou a série histórica, há dez anos. Em Curitiba, foram registradas 100 mortes e nos municípios vizinhos 127 casos. A RMC concentra aproximadamente 40% do total de casos de homicídios dolosos registrados no Estado.

“A Polícia Civil e Polícia Militar têm trabalhado de forma incansável para reduzir a incidência criminal em nosso Estado. Tivemos ao longo de 2016 investimentos essenciais, feitos pelo Governo do Estado, que já estão impactando diretamente na redução dos homicídios”, explicou o secretário da Segurança Pública, Wagner Mesquita.

Ele destaca a contratação de 3 mil novos soldados da PM, que reforçaram a segurança nas ruas em todo o Estado. Desde 2011, o Governo do Paraná contratou 10,8 mil policiais e adquiriu mais de 3,5 mil viaturas – além da locação de outros 250 veículos

REDUÇÕES – Das 23 Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp), nas quais o Estado é dividido para fins de análise, 13 apresentaram diminuição expressiva no número de homicídios nos primeiros três meses de 2017.

Além de Curitiba, RMC e Litoral, no interior o índice de assassinatos caiu nas mais diversas regiões. Na de Foz do Iguaçu, a queda chegou a 40% e na região de Francisco Beltrão, a redução foi de 37,5%. No Litoral a queda foi de 21%.

Reduções também ocorreram nas regiões de Londrina (-16%), Umuarama (-24%) e Paranavaí (-17%), conforme aponta o relatório produzido pela Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico (Cape) da Segurança Pública. Já regiões como Campo Mourão e Maringá tiveram aumento no índice, de 36% e 21%, respectivamente.

“O resultado deste primeiro trimestre de 2017 é uma resposta ao ano passado, que teve um leve acréscimo de 2,4% no número de homicídios em todo o Estado, comparando com 2015”, comparou o secretário Mesquita.

REPRESSÃO – “Desde o início do governo Beto Richa, em 2011, houve uma atuação muito intensa de repressão aos crimes de homicídios”, afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, Júlio Cezar dos Reis. Ele destaca a criação da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Curitiba, e a instalação de delegacias especializadas de homicídios no interior, além do trabalho integrado das polícias.

Para o delegado-titular da DHPP, Fábio Amaro, uma série de fatores contribuiu para a queda expressiva de assassinatos na capital. Ele destaca a reativação de um Disque-Denúncia específico da delegacia e as operações conjuntas entre as polícias Civil e Militar nos locais com maior incidência de homicídios. “Só nestes primeiros três meses de 2017, 29 suspeitos de assassinato foram presos pela DHPP”, informa.

CRIMES PATRIMONIAIS – Outro foco da segurança pública em 2016 foi o combate aos crimes patrimoniais – furtos e roubos. Este índice criminal aumentou em praticamente todos os estados do País – alguns deles registrando acréscimo superior a 50%. No Paraná a taxa foi 9% superior a 2015.

“O ano de 2016 foi atípico para a área da segurança pública, muito por conta do clima de instabilidade do país e pela grave crise financeira, com reflexos em todos os estados da federação”, analisa Wagner Mesquita.

O secretário ressalta as medidas adotadas para combater os crimes contra o patrimônio, destacando a Operação Impacto que envolveu as forças de segurança de todo o Estado. “Houve um reforço de cerca de 800 policiais e 200 novas viaturas locadas somente nas ruas de Curitiba e região metropolitana”.

VIATURAS – Ele afirmou que diante do resultado positivo da Operação Impacto, que ajudou de forma determinante a frear os casos de furtos e roubos, será ampliado o contrato de locação das viaturas da Polícia Militar para o interior do Estado. “Os veículos serão distribuídos conforme o mapa criminal”, adiantou o secretário.

A maior presença policial na rua foi determinante para frear os furtos e roubos no Paraná em 2016. Desde meados do ano passado, a corporação tem utilizado novas viaturas policiais, locados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública. No início deste ano começaram a ser aplicados no policiamento os novos soldados contratados pelo Governo do Estado.

“Diuturnamente são feitas as rondas com motocicletas, viaturas, com embarcações e também a pé, em locais e horários pré-definidos pelo mapa do crime, para prevenir a criminalidade e contribuir com a redução dos índices estatísticos”, explica Mesquita. “As ações são feitas em parceria também com outras forças de Segurança Pública”.

Confira AQUI o relatório da Secretaria da Segurança Pública.

Confira os dados ano a ano:

2007;

Curitiba – 144

RMC – 149

Paraná – 670

2008

Curitiba 158

RMC – 168

Paraná – 769

2009

Curitiba – 156

RMC – 192

Paraná – 768

2010

Curitiba – 240

RMC – 285

Paraná – 1001

2011

Curitiba -189

RMC – 220

Paraná – 803

2012

Curitiba -176

RMC – 230

Paraná – 823

2013

Curitiba – 145

RMC – 183

Paraná – 747

2014

Curitiba -157

RMC – 163

Paraná – 721

2015

Curitiba -130

RMC – 197

Paraná – 700

2016

Curitiba – 146

RMC – 178

Paraná – 683

2017

Curitiba – 100

RMC – 127

Paraná – 585

Plantão Policial

Polícia Libera imagens das câmeras de segurança que registraram o assassinato de Antônio Marcos da Rosa, 33 anos, o popular Toninho

Crime ocorrido por volta das 21h55 minutos da ultima terça-feira (25), na PR-412, balneário Santa Terezinha, em Pontal do Paraná, litoral do estado.
Vitima estaciona o seu carro, outro veiculo chega, ele conversa com o motorista. O carro sai, ele vai em direção ao seu veiculo seu quando os assassinos aparecem atirando. A vítima cai sem vida. Acompanhe!!!

Plantão Policial

Homem é morto com pelo menos 7 tiros de pistola

Crime aconteceu por volta das 21h00 horas desta terça-feira-dia 25, no balneário Santa Terezinha, em Pontal do Paraná, litoral paranaense

Foram pelo menos 7 disparos. Os atiradores fugiram. Vítima identificada como sendo Antonio Marcos da Rosa, o popular Toninho, 33 anos. Ele trabalhava como maquinista da prefeitura de Pontal do Paraná no governo anterior.
Crime aconteceu em frente a Pontal Celular, na PR-412, em Santa Terezinha, as 21h00 horas da noite desta terça-feira, dia 25. O carro da vítima estava estacionado na calçada ao lado do corpo, sinal que ele parou para conversar com seu algoz.
Câmeras de segurança de comércios da região filmaram a ação criminosa e deverão ajudar nas investigações. O Siate foi chamado, mas quando chegou já era tarde. A Vitima entrou em óbito na maca dos socorristas. O local foi isolado pela Policia Militar até a chegada da Polícia Cientifica. A equipe do delegado Thiago Wladika esteve no local e vai investigar o crime. Não há informações sobre o criminoso. Corpo recolhido ao IML de Paranaguá.

Plantão Policial

Ki-suco fervendo no Assalto ao Prosegur do Paraguai

Cerca de 120 milhões foram levados. Na caçada a quadrilha um rastro de sangue. Além de parte da grana estar sendo recuperada, tiros, mortes. As buscas não param

Plantão de Notícias

Ki-suco ferveu em Sarandi, no interior do estado

Homem foi morto com mais de 60 tiros. Fato aconteceu na ultima sexta-feira, dia 22, na rua Curitiba, em Sarandi. Câmera flagrou a brutal execução.

Plantão de Notícias

“Lei do Cão”

TAC -Termo de Ajuste de Conduta- proposto pelo MP acabou com mazelas na prefeitura de Paranaguá; nem o prefeito Marcelo Roque escapou!

Viva o Ministério Público!!!

A imagem pode conter: 1 pessoa

 

De forma insólita, o prefeito Marcelo Roque assinou durante a semana um TAC – Termo de Acordo de Conduta, com o Ministério Público Estadual para por fim as mazelas de uma lei municipal que pagava gratificação para alguns servidores municipais que seriam apadrinhados de políticos e que recebiam gratificações na prefeitura de Paranaguá, litoral  paranaense.

Segundo apuramos, dentre eles, o próprio prefeito Marcelo Roque que também é servidor público municipal concursado em dois anos, pela lei, ganharia o direito de incorporar as gratificações ao salário de servidor municipal concursado. Uma especie de “aposentadoria ativa”. Por isso, de forma insólita, ele “cortou na própria carne” o referido direito.

Com base nessa lei municipal e de acordo com o site da transparência da prefeitura, meia dúzia de servidores públicos de Paranaguá estaria recebendo o teto salarial estipulado para o cargo de prefeito. Por isso, não fosse o TAC, muito em breve seria perto de 10% dos servidores municipais recebendo valores exorbitantes, em detrimento de 90% dos demais servidores que não possuem apadrinhados políticos, é bom que se diga.

 

Isso chamou a atenção do  Ministério Público de Paranaguá que  instaurou inquérito civil para apurar supostas irregularidades. Apesar de institucionais, essas mazelas vieram à tona e o acordo vai garantir o balanceamento da folha de pagamento da prefeitura que estava a um “triz” de extrapolar. Era isso, o improbidade administrativa na certa.

No entanto, o lado bom do TAC é que irá proporcionar a  maioria dos servidores, que nunca receberam gratificações. A partir de agora esses servidores poderão voltar a prestar horas extras e melhorar seus vencimentos, em conformidade com a lei estatutária, vigente.

O TAC não mexe nos direitos adquiridos, ou seja, aqueles que receberam gratificações ininterruptamente durante 5 anos ou alternadamente, durante 10, que tiveram os valores incorporados ao salário do concurso, terão os direitos mantidos. Porém, o TAC vale a partir de agora e atinge apenas cerca de 10% dos servidores daquele município.

Vale aqui destacar a coragem do jovem prefeito Marcelo Roque que é servidor municipal. Ele abdicou de seu próprio direito para sanar um problema que se arrastava há décadas na cidade mais antiga e respeitada do Paraná.

Com todo respeito a faixa de servidores que vinha sendo beneficiada por uma lei desumana, em detrimento da maioria da categoria, isso demonstra o senso de Justiça que a atual administrarão de Paranaguá tem adotado em prol do erário municipal e daqueles menos favorecidos pela sorte, apesar do desgaste político.

Plantão Policial

Delegado Thiago José Wladika fala sobre a fuga de 13 presos do xadrez da delegacia de Ipanema, em Pontal do Paraná, Litoral Paranaense

Fato aconteceu por volta das 04h30 da madrugada desta segunda-feira, dia 17. Renato Lima foi recapturado. Confira!!!!