Autor Arquivo: Folha Pontal do Paraná

Mudança

Ex-secretário de Obras da reeleição do saudoso prefeito Gimenes retorna ao governo do prefeito Edgar Rossi

Aramis Calixto é o novo secretário de obras de Pontal do Paraná. Ele assume a pasta no lugar de Murilo Camargo. A indicação teve o aval do empresário João Carlos Ribeiro, ligado ao Porto Pontal

Aramis Calixto, ex-vereador, ex-secretário de obras na administração do ex-prefeito Gimenes e ex-secretário de Planejamento do próprio governo do prefeito Edgar Rossi retorna a atual administração para assumir a Secretária Municipal de Obras no lugar de Murilo Camargo que deverá deixar o governo para coordenar a campanha de reeleição do prefeito Edgar Rossi

Fonte:  www.litoralprnews.com.br TV PARANÁ www.tvparana.tv

Plantão Policial

Armados “trezoitão” e faca dois homens assaltaram o posto de gasolina Geométrica. Fato aconteceu ontem de manhã em Shangrí-lá

Dois homens armados com revolver e faca invadiram o local e deram voz de assalto. Eles renderam os funcionários e levaram dinheiro e produtos. A policia foi avisada e investiga o crime. Imagens do circuito de segurança devem ajudar na identificação dos assaltantes.

FOLHA PONTAL NAS ELEIÇÕES/2016

Abrão Oliveira (PMN), fala por que quer ser candidato a prefeito de Pontal do Paraná

Ele abre a tradicional rodada de entrevista com todos os pré-candidatos a prefeito  da cidade praiana

  1. Folha Pontal do ParanáPor que o senhor quer ser Prefeito de Pontal do Paraná?

 Abrão – Porque sempre me atualizei nas questões pertinentes ao funcionamento da Prefeitura, sou técnico e democrático, me formei em Gestão Pública e sei que vou contribuir com a minha experiência adquirida ao longo de 19 anos como Servidor Público, está na hora de retribuir isso como benefício a minha querida Cidade.

Também porque sempre agi como cidadão e sei do que a população precisa, afinal sou usuário do sistema público,  venho da mesma classe que depende do serviço público e também da classe que presta o serviço a população.

Estou cansado de ver a mesma receita política que se entende ao longo dos tempos, onde os gananciosos se deslumbram com o Poder em detrimento da população e dos servidores públicos, que não aguentam mais ver tanto amadorismo e imoralidade na coisa pública. O Prefeito depois de eleito tem que continuar vendo a cidade como um cidadão e não mais como político, basta fazer o que é legal e moral.

  1. Folha Pontal do ParanáQual o perfil de prefeito ideal para administrar o município de Pontal do Paraná?

 Abrão  – O Perfil ideal é alguém que conheça de como funciona a Administração Pública e que tenha experiência na vida pública. Não pode estar na frente de batalha aquele que não tem a coragem para enfrentar os problemas. A pessoa que está a frente deve ser justa e sempre buscar soluções para o problemas da população. Não basta delegar, tem que saber realizar a tarefa. Também o eleitor tem que analisar a vida pregressa do candidato bem como a sua conduta atual. Na vida pública quem erra deve ser responsabilizado pelos seus erros. O Político não deve se comportar como cristão que erra, se confessa pra Deus e está perdoado.

  1. Folha Pontal do Paraná –Ao que se deve o fato do seu nome  ter sido até aqui um dos mais lembrado nas pesquisas de opinião?

Abrão  – Você só é lembrado se for conhecido. Durante o tempo que estou na vida pública, sempre procurei agir com urbanidade e dar uma solução aos problemas dos contribuintes. Sempre alertei os meus colegas de trabalho a olharem para os usuários do serviço público como se fosse um membro da família, embora, às vezes, devido as circunstâncias da falta de estrutura e suporte isso se torna quase impossível.

  1. Folha Pontal do ParanáO senhor mora no Guaraguaçú, mas o seu nome é conhecido em toda a cidade de Pontal do Paraná?

Abrão – Com certeza! Afinal, nasci  nesta cidade, trabalhei em várias imobiliárias (Praia de Leste, Ipanema, Shangri-lá e Pontal do Sul) e no Cartório de Praia de Leste, quando ainda pertencia a Paranaguá. Ingressei na Prefeitura em 17 de março de 1997 e desde então, sempre procurei atender bem os contribuintes.

 

  1. Folha Pontal do ParanáComo o senhor avalia a atual administração?

Abrão  –  Sem perspectiva de melhorar, não apoio a reeleição do atual Prefeito, pelo fato de que sequer teve a capacidade de realizar uma Reforma Administrativa, manteve a mesma estrutura criada pelo Prefeito anterior e não implantou um choque de gestão. Portanto, não será em mais quatro anos que fará. É um Governo de propagandas.

  1. Folha Pontal do Paraná –Em sua opinião, quais são os projetos mais prioritários e importantes para o município de Pontal do Paraná?

Abrão – Pontal do Paraná necessita atualmente de uma Reforma Urbana, fato que vai alavancar a cidade como um Polo Turístico, para Receber os turistas na baixa temporada e uma urgente Intervenção na Orla, como a desocupação de invasões e despoluição da Praia.

Temos as praias como atrativo principal, porém nosso crescimento urbano está desordenado e sem planejamento. Além do desassoreamento de canais para evitar os tradicionais alagamentos.

Tenho contato diretamente com proprietários de imóveis que residem fora do município e que reclamam principalmente do abandono em que nosso município se encontra, não querem grandes empreendimentos, apenas que a Prefeitura mantenha as praias, ruas e passeios limpos e com espaços para o lazer, uma vez que pagam altos valores de IPTU, Taxas e Contribuições, até maiores como por exemplo em Curitiba.

 

  1. Folha Pontal do Paraná –O senhor acredita na administração pública, qual sua formação?

Abrão  -Acredito quando os Princípios da Administração Pública forem respeitadas, quais sejam: Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência.

Minha formação é em Gestão Pública, porém temos outros gestores públicos e que também são servidores públicos municipais e defendo que os cargos de Secretários também devem ser ocupados por servidores que exerçam cargos na Prefeitura, dos quais temos servidores formados em Administração, Pedagogia, Economia, Direito, Engenharia, Arquitetura, Medicina Veterinária, Assistência Social, Enfermagem, entre outros tantos que estão aptos e qualificados para cargo de Secretários, Direção e de Chefias.

 

8 –Folha Pontal do Paraná – Qual a receita e o que fazer para alavancar o crescimento das pequenas e médias empresas de nossa cidade em todos os seguimentos?

Proteção ao Comércio local, com a intensificação da fiscalização nos comércios informais e irregulares, mais conhecidos como aventureiros.

Incentivos fiscais e redução da carga tributária, sem que haja renúncia de receita é uma das maneiras de desonerar os comerciantes.

Resgate das festividades tradicionais em baixa temporada com atrações artísticas, culturais, eventos e feiras gastronômicas, nos principais balneários, com divulgação em meios de comunicação de grande circulação.

  1. Folha Pontal do ParanáO município está com uma previsão orçamentária de mais de 80 milhões de reais graças às obras no setor Naval, qual seu pensamento em relação ao Porto Pontal?

 

Abrão  – A Polêmica sobre o Porto se estende a mais de 30 anos, sempre ouvi esta história e em época de eleição sempre volta a tona. Porém nenhum governante pensou numa Secretaria que fosse voltada para essa questão. Defendo a idéia da criação de uma Secretaria de Indústria Comércio e Serviços, específica para a discussão “Porto” e de outros grandes empreendimentos que a Cidade requer.

Quanto a questão “Orçamento” o aumento da previsão é meramente ilusória, trata-se apenas da correção da inflação em cima dos impostos, basta compararmos 2016 com 75milhões mais a inflação de quase 10% chegará nos 82milhões previsto para 2017. Se não houver corte nas despesas com o enxugamento da máquina pública, o aumento não cobrirá os rombos e será insuficiente para planejar o desenvolvimento da cidade e aumentar a demanda do serviço público, como por exemplo: mais sala de aula, obra de infraestrutura urbana, transporte coletivo de qualidade, malha viária e diversas melhorias com o atendimento na saúde e na segurança.

Outro fator foi o aumento da alíquota do ISS e a retirada do desconto sobre o alvará de funcionamento dos estabelecimentos comerciais.

O Governo não divulga que existe uma dívida acumulada com precatórios que passa de milhões, essa dívida vai sair do bolso dos contribuintes por má gestão.

Resumindo, vai servir apenas para apagar “focos de incêndios”

10- Folha Pontal do Paraná –  O senhor nunca disputou cargo eletivo, por isso o carro chefe para impulsionar sua pré-candidatura tem sido o slogan ficha limpa, o senhor é de fato ficha limpa?

 

Abrão – Confesso que nunca me interessei pela politica, assim como diversas pessoas que também estão decepcionadas com a politicagem que assola o país, talvez essa postura de nunca querer disputar um cargo ou de não nos envolvermos é o que nos torna vítimas desse caos, devido ao nosso comodismo.

Sou ficha limpa porque não sou e nem nunca fui um ganancioso, não tenho essa má índole e detesto bajulação e troca de favores.

Ainda encontramos no meio político local, muitas pessoas que também são “ficha limpa”, nem tudo está perdido.

Sua considerações Finais:

O Prefeito, e todos os servidores públicos, na qualidade de AGENTES PÚBLICOS, devem arcar com as suas responsabilidades e obrigações, tendo seus direitos e deveres como qualquer outro contribuinte, jamais devem agir como se o Patrimônio Público fosse particularmente seu.

Amo esta Cidade e estou vendo ela se tornar um paraíso esquecido e abandonada, um tesouro que precisa ser recuperado e exposto em sua beleza – como em nosso Hino “Lugar de encantos mil”.

Sei que é possível unir a população e a classe política num mesmo ideal, em prol da defesa dos interesses coletivos, num projeto de desenvolvimento, porém com planejamento, almejando onde queremos chegar, criando políticas públicas com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população. Enquanto alguns municípios estão em pleno desenvolvimento, nossa querida Cidade está expandindo demograficamente e com muitas em ocupações irregulares.

Sou contra a reeleição, pelo simples fato de não se fazer nada em 3 anos, culpar o antecessor pelos erros e usar o mesmo “modus operandi” que é o do uso da Máquina apenas em ano eleitoral, onde “tudo se torna possível”, achando que o povo sempre terá memória curta. “Meu objetivo é no final de 4 anos, voltar a ser funcionário público com a Missão do dever cumprido.”

 

 

 

 

 

Deu na Gazeta do Povo

Rudisney Gimenes: um homem de palavra

Homenagem : Coluna Obituário Gazeta do Povo

Nenhuma palavra que Rudisney Gimenes dissesse poderia ficar perdida ou esquecida. Desde as contas pessoais até os compromissos do período em que foi prefeito de Pontal do Paraná, no Litoral, eram questões de honra para o médico nascido em Mandaguari, no Norte do estado. Filho de agricultores, cresceu no sítio e foi moleque levado. Aprontava bastante. Na maioridade, foi estudar em Curitiba e pouco tempo depois começou a cursar Medicina.

As raízes interioranas nunca se perderam e, frequentemente, ele escapava da rotina para pescar e viajar. As pescarias passaram até por águas mato-grossenses e paraenses; voltava com o carro carregado de peixes. Com o motorhome da família, Gimenes, a esposa e os três filhos conheceram o Brasil e a América Latina. “Estudo e viagem são coisas que ninguém pode tirar de vocês”, ensinava aos filhos. Fazia questão de que eles estudassem muito e deu liberdade para que cada um escolhesse a área que queria seguir. Nenhum verteu para a medicina e isso não foi um problema.

Os passeios eram o combustível para retornar à rotina médica. Especializado em ginecologia e obstetrícia, medicina do trabalho e administração hospitalar, começou a atender nos postos de saúde das praias em 1981. Em Pontal do Sul, atendia em um vagão de trem. Sempre buscou manter a imagem de seriedade, da qual se orgulhava. “Ele exigia e transmitia um bom comportamento”, destacou Rudisney Gimenes Filho.

Na época, os balneários eram parte do município de Paranaguá e, quase que por acidente, ele entrou na vida política. “Havia falta de recursos. Faltava tudo na temporada e os moradores iniciaram o processo de emancipação, mas não deu certo”. A Assembleia Legislativa do Paraná não permitiu a realização de um plebiscito para emancipação. O médico, então, foi até Brasília para tentar reverter a decisão e o plebiscito foi autorizado.

Em 1995, Pontal do Paraná foi emancipada e ele decidiu se candidatar ao cargo de prefeito. Perdeu as duas primeiras eleições e ganhou as duas seguintes. Dizia que queria entrar na prefeitura pela porta da frente e sair também pela porta da frente.

“Era pulso firme, teimoso, persistente, genioso. As pessoas até reclamavam desse jeito dele, mas hoje sentem falta. Se podia fazer algo, fazia. Se não tinha como, já falava não”. No gabinete, tinha um quadro com o plano de governo para buscar sempre concretizar suas promessas.

Gimenes Filho contou que, na última gestão de seu pai, Pontal do Paraná foi classificada como a segunda melhor cidade em gestão fiscal do Brasil.

Ao fim do segundo mandato, em 2012, se afastou da vida pública para descansar e estava vivendo em Santa Catarina. Embora mantivesse as relações com a cidade de Pontal, não sabia se queria voltar às atividades políticas.

Devoto de Nossa Senhora Aparecida, visitava o Santuário Nacional sempre que possível. “Depois que ficou doente, em agosto de 2014, aumentou a frequência das visitas”, contou Gimenes Filho. Diagnosticado com câncer de estômago, a família acredita que a sobrevida de Gimenes foi uma graça alcançada. Pela seriedade da doença, “poderia ter ido antes”, disse o filho. Deixa três filhos, um neto e um irmão.

Dia 19 de abril, aos 66 anos, por complicações de um câncer, em Curitiba.

Coluna Obituário Gazeta do Povo 28/05

Folha Pontal nas eleições/2016

Nem Daniel Lemos  e nem a Drª Virgínia, o empresário Fernando 277 (PSDC)  é aclamado pelo grupo dos 6 partidos como pré-candidato da oposição

O nome dele foi escolhido hoje a tarde através de consenso pelos 6 partidos. Agora, os 6 partidos formam a frente de oposição: DEM, PMDB, PSDC, PPL, PEN e PR

A reunião que definiria o pré-candidato do grupo foi realizada ontem a noite, quinta-feira (26), em Praia de Leste, Pontal do Paraná, litoral do estado. No entanto, a votação terminou empatada entre os pré candidatos Daniel Lemos (Democratas)  e Virgínia Pedroso (PMDB). Por isso, foi estipulado um prazo de 72 horas para a divulgação. Detalhe: Fernando 277 não recebeu sequer um voto na reunião de ontem, mas na tarde desta sexta-feira(27) foi aclamado pré-candidato a prefeito, com apoio dos 6 partidos.

Agora, além do prefeito Edgar Rossi (PSD) que busca a reeleição, estão confirmados para a disputa pela prefeitura de Pontal do Paraná os nomes dos pré-candidatos a prefeito Abrão Oliveira (PMN), Marcos Casquinha (PSB), Paulo Santana (PTN) e  Fernando 277 (PSDC). Os demais partidos não divulgaram nomes até o  fechamento do post. A corrida agora entre os partidos será pela escolha dos respectivos vices.

Empresário Fernando 277: Foi escolhido através de consenso como pré-candidato a prefeito de Pontal do Paraná. 6 partidos formam a frente de oposição: DEM, PMDB, PSDC, PPL, PEN e PR. Luiz Fernando, 59 anos, é casado com Fátima Oliveira Seren. Da feliz união nasceram 1 filho e 2 filhas. Ele foi vereador pioneiro e ajudou a escrever a Carta Magna do Município, ou seja, a Constituição Municipal, em 1997.  Quase 20 anos depois volta a política como pré-candidato a prefeito.

Folha Pontal nas eleições 2016

27f12-urgente2bduplo

Votação do Grupo dos 6 partidos, realizada ontem a noite, em Praia de Leste, terminou empatada entre um advogado e uma advogada. Por isso, a decisão não foi anunciada

9f91d-eleicao-itacare-2016-600x450De acordo com informações, em nova reunião ocorrida na tarde desta sexta-feira (27) a votação foi esquecida e um nome de consenso teria sido escolhido pelo referido grupo. Qual será?

Plantão Policial

Polícia registra homicídio em Shangrí-lá, durante o feriadão

Fernando Pitbull: corpo ao lado da bicicleta

Fernando Pitbull: corpo ao lado da bicicleta

Homem conhecido como Fernando Pitbull é executado a tiros. Polícia Civil, Militar e Criminalística no local. A Polícia Civil de Pontal do Paraná investiga o crime. De acordo com  a polícia, a vítima estaria  ligada ao tráfico de drogas. Corpo sendo recolhido ao IML de Paranaguá. Aguarde mais informações

Plantão Policial

Pedófilo virou marido da criança e depois matou a vítima

O caso asqueroso, nojento e revoltante aconteceu em Paranaguá

O caso é investigado pela Delegada do NUCRIA Dr. Maria Nyza Moreira Nanni (foto). A morte, supostamente por agressão, de menina de 15 anos revolta toda a população do litoral. Desde os 11 anos a vítima convivia com o criminoso de 31, com quem tinha uma filha de 2.
Aqui em Pontal do Paraná um político metido a boi do rabo branco, também tentou assediar uma criança de 11 anos. Atualmente se esconde atrás de cargo público. Fato registrado na policia e na Justiça e que nada fizeram. Em 2016, Pontal do Paraná não pode perder para a pedofilia e nem votar em gente acusado de crimes contra criança. O nome do acusado não podemos divulgar por determinação da Justiça. Quem tiver dó de pedófilo que leve pra casa. A Folha Pontal é contra essa raça do capeta e ponto.

No Rede Notícias desta sexta-feira (27), a Delegada do NUCRIA, Núcleo de Proteção à Criança e aos Adolescente Vítimas de Crimes, Dr. Maria Nyza Moreira Nanni, falou com exclusividade com o nosso departamento de jornalismo sobre o caso de uma menor de idade que teve morte cerebral confirmada pelos médicos, supostamente vítima de agressão.

O caso aconteceu no final de quarta-feira, dia 25. Acompanhe a reportagem: Confira a entrevista: http://goo.gl/Jrd5iQ

Fonte: FM ILha do Mel/foto

27f12-urgente2bduplo

Curso: O Código do Consumidor

Enquete encerrada

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 5.152 outros seguidores